sexta-feira, 27 de novembro de 2009

De choque

É engraçado. Há mais de um mês comecei a fazer terapia. Afinal de contas, um monte de gente faz, minhas amigas que começaram super se sentem bem, até minha irmã faz faculdade de psicologia. Eu acho válido despejar os males da cabeça em uma sala.
Então tá. Eu vou lá uma vez por semana, um senhor distinto, calmo, eu diria pacato até, me recebe educadamente e me convida a sentar em uma poltrona. Depois de pegar minha carteirinha do plano de saúde e colocar minhas digitais no programinha do computador, me sento e espero ele terminar umas anotações. E então, ele diz. Eu sorrio sem graça e digo, e então. E falo, como se fosse: meu querido diário, essa semana fui ver os meus pais. Foi legal, estava com saudades, comi pão de queijo e dormi até tarde.
Acho que não peguei o espírito da coisa. Talvez meus males interiores não tenham remédio. Cura eu sei que não têm. Não carrego essa ilusão de me ver livre deles. Pelo contrário, são como uma doença maligna (?) que avançam e um dia vão me consumir. Mas tinha de ter remédio. Tipo alguma coisa que me anestesiasse, que me distraísse, pra que eu não me desse conta de que eles avançaram mais uma linha de neurônios em menos de um mês.
E então, eu conversei com a minha irmã a conversa que taí embaixo conversada:

Ariana diz:
ai, fer, acho que não to gostando da terapia
Fernanda diz:
pq Ari?!?!
Ariana diz:
ah, não vejo utilidade em ficar falando de mim pra um desconhecido
Fernanda diz:
cabeção, vc não ta falando de vc pra um desconhecido ... ta tentando organizar sua aflições com a ajuda de um especialista nisso
Ariana diz:
ah, eu queria que ele fizesse um relatório no fim de cada sessão. Igual receita médica, pra eu saber, uai
Fernanda diz:
mas ele não é medico, ari .. quer dizer esse é .. mas ele não tem essa função na terapia
o q vc tem q aproveitar dele é o q acontece durante a terapia e não o resultado dela no fim da sessão
Ariana diz:
acontece que eu fico falando
ele escuta
pergunta
e ri
eu rio
falo
e acaba
eu penso as coisas que digo pra ele com ou sem terapia
Fernanda diz:
tenta falar isso pra ele .. isso q vc ta me falando .. acho q ele vai poder te esclarecer melhor

Ariana diz:
esclarecer o que?
Fernanda diz:
o pq de ser assim .. vc fala ele pergunta vcs riem .. esclarecer se não tem outra jeito de fazer ..
é q cada terapia é diferente da outra
Ariana diz:
eu disse pra ele que acho meio nada a ver eu ir lá e ficar falando
ele disse que terapia serve pra isso, pra falar
então eu falo com o meu espelho, uai
Fernanda diz:
ah Ari eu não acho a mesma coisa.. mas vc não ta pagando nada .. qual o problema de ir lá e fazer umas reflexões de vez em quando!?

Ariana diz:
o problema é esse, fer
eu faço reflexões o tempo inteiro
tem uma terapia de não fazer reflexões?
Fernanda diz:
sim
de choque!

E agora eu me pergunto: 110kw ou 220kw?

4 comentários:

Fernanda disse...

huahuahah a conversa continuava cabeção!!
Te amo.. sem reflexão alguma!!

Carol Gioseffi disse...

kkkkk...
Não sei se vc resolveu seu problema com a terapia, mas me diverti com o diálogo!
Olha, eu também faço terapia, sabe quem é meu Terapeuta?
Jesus.
Só que nesse caso tenho livre acesso, e não hora marcada, sempre que preciso Ele me escuta, e me reponde tbm...
Faz uma visita a Ele, quem sabe pode te ajudar tbm...
Grande abraço.
Msm sem te conhecer pessoalmente, Te Adoro!
F
U
I
...

Bia Rodrigues disse...

eu faço terapia para organizar minhas ideias. é exatamente isso. ou eu morro na confusão ou na organização...

dionea disse...

Chorei de rir com esse post, Ari. Principalmente na parte do "querido diário". Só podia sair de você. Saudades, menina!